Início » Equipe da Unicamp/Uniara ficou em 1º lugar no Programa ASTRo Roche 2019

Equipe da Unicamp/Uniara ficou em 1º lugar no Programa ASTRo Roche 2019

A Unicamp teve 4 equipes de 12 selecionadas no Programa ASTRo, sendo a BioMetals melhor classificada com uma tecnologia para tratamento menos agressivo de câncer de pele.
 
Por Kátia Kishi
 
A edição de 2019 do Programa ASTRo (Applied Science Trail Roche), programa de aceleração de tecnologia desenvolvido pela Roche com a Biominas Brasil, finalizou com a classificação em primeiro lugar da equipe BioMetals, formada por pesquisadores e docentes do Instituto de Química (IQ) e da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e pela Universidade de Araraquara (UNIARA).
 
O grupo foi uma das 12 equipes selecionadas para participar do programa que tem a intenção de fortalecer o ecossistema de inovação em saúde no Brasil. Durante 10 semanas, pesquisadores de diversas instituições foram apresentados a metodologias e conceitos do empreendedorismo para acelerar tecnologias, também identificando o estágio em que se encontram suas pesquisas na visão do mercado. A ideia é que, no futuro, essas pesquisas virem produtos e serviços, conforme os participantes da BioMetals relataram sobre a experiência no Programa.
 
 
“Os conhecimentos adquiridos de aceleração da tecnologia não são apenas para quem vai abrir uma empresa, mas sim para serem aplicados no dia-a-dia. Eles começaram o treinamento com metodologias ágeis para organizar agenda, por exemplo, passando por questões regulatórias e a legislação da ANVISA, cases de sucesso e de fracasso de empresas startups e spin-off, chegando a logística e organização de finanças para empresas”, detalha Raphael de Paiva, químico e doutor em ciências pela Unicamp e quem realizou a maioria dos pitches da equipe destaque do Programa.
 
Entre os aprendizados mais importantes relacionados a empreendedorismo que o grupo elencou estão a avaliação do Nível de Maturidade Tecnológica (também conhecida como TRL – Technology Readiness Level), sobre como validar a tecnologia no mercado e, em especial, sobre a linguagem e forma de se comunicar em pitches, para conversar com investidores e potenciais parceiros.
 
“O pesquisador universitário convencional se prende à pesquisa e ao artigo, então, acaba parando as atividades no pedido de patente da tecnologia, em vez de validar a aderência ou como atrair atenção do mercado. Nesse contexto, o programa de aceleração foi importante para direcionarmos como ir mais longe em nossa pesquisa. Agora um dos nossos desejos é conseguir parcerias com o setor empresarial a fim de avançar essa tecnologia acelerada, e em outras que desenvolvemos em nosso grupo de pesquisa, para que elas realmente cheguem ao mercado”, planeja Pedro Corbi, químico, professor do IQ e um dos integrantes da BioMetals.
 
Menos agressões no tratamento de câncer de pele
 
A tecnologia acelerada durante o programa pela BioMetals é um novo composto aplicado de forma tópica, portanto, menos agressivo que o tratamento convencional cirúrgico do câncer de pele, que pode mutilar o paciente com a perda de parte da região afetada, como nariz e lábio, explica a médica, professora da FCM e integrante da equipe, Carmen Lima:
 
“Desenvolvemos um composto com a equipe do professor Pedro Corbi que pode ser administrado por uma membrana com liberação sustentada (como se fosse um curativo), produzido pelos pesquisadores Wilton Rogério Lustri e Silmara Frajácomo da UNIARA. Esse composto pode ser aplicado na região afetada pelo tumor, sem a necessidade de troca em um curto período. Isso é uma vantagem para os pacientes, especialmente os do Sistema Único de Saúde (SUS), que podem aderir a um tratamento mais simples e que possa ser realizado à distância da clínica”, defende Lima como um dos principais benefícios da tecnologia.
 

Equipe BioMetals durante Programa ASTRo
 
Tanto a membrana quanto o composto já passaram dos testes in vitro e testes in vivo em camundongos, com supervisão do professor João Ernesto de Carvalho e das pesquisadoras Ana Lúcia Ruiz e Karin Monteiro da Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) Unicamp, comprovando sua eficiência no tratamento desse tipo de câncer. Os testes in vivo foram realizados durante a pesquisa de doutorado, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), da farmacêutica e integrante do grupo BioMetals, Tuany Cândido.
 
“Esse é um exemplo de como a pesquisa básica pode beneficiar pacientes oncológicos. Entretanto, para uma possível comercialização, ainda são necessárias mais pesquisas com testes in vivo em outra espécie de mamífero e testes em seres humanos”, esclareceu Cândido sobre o estágio de pesquisa e a necessidade de recursos financeiros para continuidade dos estudos.
 
A equipe BioMetals que participou do Programa ASTRo é formada por oito representantes, que puderam se dedicar às atividades e encontros semanais, oriundos de um projeto temático sobre o câncer, conduzida por pesquisadores da FCF, FCM e IQ da Unicamp com a UNIARA.
 
“No exterior, é comum ter grupos de pesquisas com saberes e especialidades distintas, mas no Brasil isso ainda é difícil e os grupos não se unem para trabalhar juntos. Esse é um diferencial mais importante do nosso grupo e que foi valorizado no Programa da Roche porque se temos dúvidas, em nosso grupo há especialistas para saná-las. O conceito de cada um agregar o seu conhecimento para solucionar um problema faz parte da cultura empreendedora e foi o que possibilitou nosso estudo”, analisa Lima.
 
Contando com o apoio e parceria do professor João Ernesto de Carvalho e as pesquisadoras Ana Lúcia Ruiz e Karin Monteiro da FCF Unicamp, os representantes da BioMetals no Programa ASTRo 2019 foram:
 
Carlos Marrote Manzano, químico e doutorando do IQ da Unicamp.
Carmen Silvia Passos Lima, médica e docente da FCM da Unicamp.
Douglas Hideki Nakahata, químico e doutorando do IQ da Unicamp.
Pedro Paulo Corbi, químico e docente do IQ da Unicamp.
Raphael Enoque Ferraz de Paiva, químico e recém-doutor em ciências pelo IQ Unicamp.
Silmara Cristina Lazarini Frajacomo, doutoranda em Biotecnologia em Medicina Regenerativa e Química Medicinal e docente na UNIARA.
Tuany Zambroti Cândido, farmacêutica e recém-doutora pela FCM da Unicamp.
Wilton Rogério Lustri, farmacêutico e docente da UNIARA.
Atualmente, o grupo busca fomento para possibilitar a conclusão dos estudos para que o composto possa ir para o mercado. As empresas que desejarem firmar parcerias de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) com o grupo ou licenciar a tecnologia podem entrar em contato com a equipe de parcerias da Agência de Inovação da Unicamp para mais informações: parcerias@inova.unicamp.br
 
Equipes da Unicamp foram maioria no Programa ASTRo 2019
 
Equipes finalistas do Programa ASTRo 2019
 
Além de ter pesquisadores da Unicamp compondo a equipe mais bem classificada nas atividades do Programa ASTRo, a Universidade também contou com o maior número de equipes finalistas, sendo um total de 4 times entre os 12 selecionados após submissão de propostas e entrevistas por todo o Brasil.
 
Para o professor Pedro Corbi, integrante da BioMetals, esse resultado é um reconhecimento da capacidade de desenvolvimento de tecnologia da Unicamp e também da parceria e divulgação realizada junto com a Inova:
 
“Conhecemos o Programa ASTRo por meio da divulgação da Inova sobre uma palestra que apresentaria a possibilidade de acelerar nossa tecnologia a fim de tirarmos ela da bancada e a levarmos para o mercado. Nós nos interessamos e participamos da palestra que a Inova promoveu junto com o pessoal da BioMinas e Roche e saímos de lá com a certeza que submeteríamos uma proposta”, explicou Corbi, que também recebeu auxílio da equipe de parcerias da Inova para a submissão da proposta.
 
As outras três equipes selecionadas para o Programa ASTRo, cujos integrantes são da Unicamp, são:
 
Equipe BIOMARKED TECHNOLOGIES
 
Diogo Noin de Oliveira, farmacêutico e pesquisador do Laboratório INNOVARE de Biomarcadores na FCF da UNICAMP.
Gustavo Rafaini Lloret, farmacêutico e mestre pela FCM da Unicamp.
Jeany Delafiori, farmacêutica e doutoranda do Laboratório INNOVARE de Biomarcadores na FCF da UNICAMP.
Luiz Cláudio Navarro, engenheiro eletricista e mestre pelo Instituto de Computação (IC) da Unicamp.
Rodrigo Ramos Catharino, farmacêutico, docente e coordenador do Laboratório INNOVARE de Biomarcadores na FCF da UNICAMP.
 
Equipe Clarity Health
 
Andrei Sposito, médico e docente da FCM da Unicamp.
Luiz Sérgio Fernandes de Carvalho, médico, fundador da Clarity Healthcare Intelligence e pesquisador do Laboratório de Aterosclerose e Biologia Vascular da FCM Unicamp.
Marta Duran Fernandez, cientista da computação, fundadora da Clarity Healthcare Intelligence com MBA em Economia pela Unicamp
 
Equipe MitoScan
 
José Carlos de Lima Júnior, médico e pesquisador da FCM Unicamp.
Tanes Imamura de Lima, educador físico e pesquisador do Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades-OCRC do Instituto de Biologia (IB) da Unicamp.